Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008
LUTA INCESSANTE

PELOS CAMPOS

Quando ando pelos montes

E vejo campos floridos

Penso em ti.

 

Apanho braçados de flores campestres

Faço um ramo misturado

De alfazema com jasmim,

A ele junto afectos e carinhos

Nele coloco toda a fantasia que existe em mim,

E aquelas flores cheirosas

Que mais parecem um ramo de rosas

São a prova que os espinhos

Nesta terra já tiveram o seu fim.

 

Depois,

Subo ao cume do monte

E bem perto do firmamento

Abraço o ramo que é teu

Atiro as flores todas ao vento,

E em silêncio

Peço-lhes que as leve até ti

Que as faça chegar ao céu.

 

 

Poema de António Teixeira da Mota do seu livro " LUTA INCESSANTE"



publicado por joselessa às 20:25
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De cindamoledo a 19 de Janeiro de 2008 às 15:51
Poemas interessantes. Gostei imenso de os ler. Cumprimentos e bom fim de semana. cinda


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


posts recentes

ADEUS SENHOR DOMINGOS

A TRISTE SINA DE SINISTRA...

NOITE SEM OLHOS

AMO DEMAIS

ESCUTA-ME

VAMOS AJUDAR O ALBINO...

NOVIDADES PARA VER NO POR...

LINGUAGEM PARLAMENTAR

NOVAS LEITURAS E TUDO O M...

A motivação de um líder

arquivos

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

favoritos

eu

Cancioneiro popular

ELEITO DO DIA

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds